Antão Vaz

Antão Vaz é uma casta branca de origem Portuguesa, com a sua origem situada provavelmente na Vidigueira, único local antes de 1980 onde era possível encontrar vinhas velhas desta casta. Actualmente é cultivada principalmente nas regiões do Alentejo, Lisboa e na Península de Setúbal.

Quanto à antiguidade da Antão Vaz, pouco se conhece, mas depreendeu-se que devido à sua falta de diversidade genética que será bastante recente.

É uma casta com fertilidade média, mas com um índice de produção bastante elevado, sobretudo quando lhe é aplicada a poda longa. Carece de solos com boa drenagem, pois é sensível tanto ao excesso de água como ao stress hídrico, daí encontrar-se particularmente bem talhada para os solos arenosos. Também neste último ponto se observa a sua ligação à Vidigueira com os seus solos de cascalho granítico, ou de xisto com boas drenagens.

Apresenta ainda uma maturação média a tardia, a qual se adequa à região do Alentejo, todavia perde a sua acidez com alguma facilidade.

A Antão Vaz, devido à sua boa resistência à oxidação, no mosto e no vinho, apresenta como tal algum potencial para evolução em garrafa. Os aromas primários associados à Antão Vaz são principalmente tropicais, nomeadamente, papaia, ananás e casca de tangerina.

Os vinhos produzidos a partir desta casta têm como características a sua frescura e o equilíbrio entre álcool e ácidos, e acima de tudo pela boa estrutura associada a uma textura crocante. Devido às suas características apresenta  boa capacidade para envelhecimento em barricas de carvalho, tanto de primeira como de segunda utilização.

A mostrar 1–16 de 21 resultados